Parques caninos: escolher o melhor para o teu cão
Partilhar experiências

Parques caninos: escolher o melhor para o teu cão

Veja todos os itens para cães
Um parque canino pode ser o lugar ideal para fomentar a socialização do teu melhor amigo. No entanto, também se pode converter num lugar cheio de riscos. Tudo depende do parque escolhas, das horas a que vás, como lidas com as situações e, sobretudo, que tipo de temperamento tenha o teu cão.

Se queres testar algo curioso, experimenta um dia destes estar algum tempo a observar como brincam os cães num parque canino. De certeza que encontrarás muitos perfis diferentes:

  • Cães que se sentem cómodos no parque e que se divertem com outros companheiros caninos. 
  • Cães que não parecem gostar muito do lugar, mas que são levados pelos seus donos, porque estes crêem tratar-se de uma boa oportunidade para socializarem.  
  • Cães que a todo o momento entram em conflito quando interagem com outros cães.
  • Cães tímidos que brincam discretamente com um determinado grupo de amigos. 
  • Cachorros que estão a aprender a relacionar-se. 
  • Etc. 

Para quais destes perfis pode ser bom ir ao parque canino?

Ainda que os cães sejam uma espécie social por natureza, sendo muito importante permitir que estes se relacionem com os seus congéneres, os parques caninos podem não ser sempre a melhor das opções. Tudo depende de fatores que iremos falar de seguida. 
 

 

Como saber se o parque canino é o lugar adequado para o teu cão

Nem todos os cães gostam de igual forma do contato com outros cães. Alguns dos motivos para os que não gostam de socializar, são:
 

  • Medo ou insegurança: alguns cães são tímidos ou inseguros. Existem os que tiveram uma socialização muito fraca quando eram cachorros e não tiveram a oportunidade de aprender as “regras sociais caninas” quando era o momento específico desta aprendizagem (período de socialização e primeiro ano de vida). Tudo isto pode fazer com que não se sintam cómodos num parque canino. Eles poderão ficar inibidos ou responder com agressividades a muitas das interações com outros cães. 
  • Falta de interesse: alguns cães simplesmente não mostram interesse em socializar com outros cães. Tal como acontece com as pessoas, existem indivíduos mais sociáveis que outros. É boa ideia respeitar estas diferenças e não obrigar o cão a estar num parque canino caso ele não goste. 
  • Idade: quando os cães ficam mais velhos, por vezes perdem o interesse que tinham antes para se relacionarem e passam a preferir passeios solitários com interações curtas. Em algumas ocasiões, esta atitude pode estar ligada a dores físicas que não lhes permite brincar como o faziam antes. 

Não é necessário obrigares o teu cão a ir a parques caninos se ele não gostar deles. Podes procurar outros lugares mais pacíficos e que o façam sentir-se seguro no momento de socializar. Podes simplesmente fazer um passeio mais solitário com ele.

Se o teu cão tem problemas de medo ou insegurança relativamente a outros cães

Se queres ajudar o teu cão a superar os seus medos, o parque canino talvez possa ser um lugar ideal para treinar estas competências. Deves ter em conta o seguinte:

  • Escolhe um horário em que hajam poucos cães: não vás à hora de ponta, pois é quando se podem desencadear mais conflitos.
  • Certifica-te que os cães que lá estão são tranquilos e equilibrados: se o teu cão é inseguro, o que menos precisa é de se relacionar com um cão conflituoso ou opressivo.
  • Quando chegares ao parque canino fala com as pessoas que lá estão e explica-lhes que o teu cão está a aprender a superar os seus medos. Desta forma as pessoas estarão atentas e irão colaborar contigo. 
  • Lembra-te de proporcionar ao teu cão uma via de escape, caso não queira continuar a brincar ou se notares que está cansado. Tira-o de uma situação incómoda antes que passe o seu nível de tolerância. Se não o fizeres, ele poderá ficar ainda com mais medo ou insegurança. 
  • Procura ajuda de um especialista: qualquer terapia de modificação comportamental deves ser guiada por um profissional do comportamento canino.

Riscos a ter em conta num parque canino

  • Excesso de cães: as horas de maior atividade são também as horas mais conflituosas. A probabilidade de conflito aumenta quando há um grande número de cães num espaço fechado.
  • Presença de brinquedos: às vezes, a presença de brinquedos pode detonar uma briga. Alguns cães são muito possessivos e não toleram que outros se aproximem dos seus “valiosos recursos”. Por este motivo, deve-se estar atento para detetar qualquer conflito possível. Na medida do possível é recomendado evitar bolas, paus, mordedores…etc.   
  • Lugar fechado e sem possibilidade de escape: no geral, os parques caninos são uma área cercada e de dimensões contidas. Isto reduz a possibilidade de evitar um conflito. 
  • O momento da entrada no parque canino: uma das situações de maior risco num parque canino é a chegada. Ao entrar, muitos cães que já lá estão, aproximam-se para “conhecer” o novo convidado. Isto pode gerar tensão e stress em cães tímidos ou inseguros. Pode, inclusivamente, provocar uma reação agressiva. Para evitar esta situação deves interpor o teu corpo entre o cão e o resto dos cães. Caminha tranquilamente para um lado afastado do parque canino e permite que a tensão entre os cães diminuía, assim como o interesse pelo novo convidado. 

Levar um cachorro ao parque canino

No caso do teu cão ser ainda cachorro, a forma como se produz a socialização nesta primeira etapa da sua vida, é especialmente determinante para a formação do seu temperamento. Por este motivo a etóloga canina, Alba Benítez, lembra-nos que:

“O tipo de encontros e interações que um cachorro mantenha com outros cães durante o seu período de socialização, marcarão a sua capacidade de se relacionar com outros cães quando cresça. Por isso, é importante encontrar o ponto ótimo entre socializar ou sobrecarregá-lo com a exposição a outros cães. 
 

 

Parque canino, deve-se ir ou não?

Sempre que tenhas em conta os fatores que já explicámos neste artigo, um parque canino poderá ser um lugar seguro e apto para a socialização do teu cão. Na realidade, é uma boa ideia que o leves até lá diariamente, para que ele possa criar o seu próprio grupo de “amigos”. Os cães estabelecem relações de afeto estáveis (vínculos sócio-afetivos duradouros) com outros cães. Este é um comportamento que faz parte da sua natureza social. É bastante positivos que permitas ao teu cão criar laços e deixá-lo apreciar o seu lado mais relacional. 
 

Compartilhar no